Marcelo recebe associações que candidataram Portugal ao maior evento LGBTI+ da Europa

A associações ILGA Portugal, Variações – Associação de Comércio e Turismo LGBTI e a rede ex aequo apresentaram ao Presidente da República a carta de candidatura para o EuroPride 2022.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recebeu na sexta-feira representantes da Associação ILGA Portugal, da Variações – Associação de Comércio e Turismo LGBTI e da rede ex aequo – Associação de Jovens LGBTI+ e Apoiantes, organizações responsáveis pela candidatura de Portugal ao acolhimento e organização do EuroPride 2022, o maior evento LGBTI+ da Europa. O encontro foi divulgado numa nota do site da Presidência da República.

As associações apresentaram a Marcelo a carta de candidatura que tinha sido entregue, em Janeiro, à associação europeia responsável pelo EuroPride, onde propõem a criação de um roteiro LGBTI+ de dez dias no mês de Setembro em 2022. O evento deverá começar no Porto — onde é construída uma vila LGBTI+ — e terminará em Lisboa, com a realização da marcha EuroPride. Estão previstos concertos, conferências e outras actividades culturais.

As três organizações recebidas em Belém querem contudo envolver todo o país e vão sondar publicamente “autarquias ou organizações para perceber se querem realizar eventos que se enquadrem na dinâmica do EuroPride”, como disse Diogo Vieira da Silva, director executivo da Variações, ao PÚBLICO, aquando da entrega da candidatura.

O anuncio da candidatura vencedora será feito a 21 de Setembro. Portugal concorre com Barcelona (Espanha), Maspalomas (Ilhas Canárias, Espanha) e Belgrado (Sérvia). Para incentivar o júri a escolher Portugal, o Porto vai ainda organizar, a 14 de Setembro, o Porto Pride, na Praça dos Poveiros. Segundo Leonor Rodrigues, o “Porto Pride será o último evento que o júri poderá acompanhar antes de tomarem a sua decisão”. “Acreditamos que, se apresentarmos o Porto na sua melhor forma, Portugal terá óptimas hipóteses de conseguir a nomeação”, acrescenta.

O Porto Pride conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, o que, para a organização, é a “prova de que as coisas estão a caminhar na direcção certa”, sobretudo “quando estas celebrações passam a fazer parte do cenário da cidade.”

Em Janeiro, a entrega da candidatura à direcção da European Pride Organisers Association contou com a presença das secretárias de Estado do Turismo, da Cultura e para a Cidadania e Igualdade.

Em 2007, a edição da EuroPride em Madrid levou mais de 2,5 milhões de visitantes à capital espanhola. Este ano, o evento terá lugar em Viena, na Áustria. Em 2020, será a vez de Salónica, na Grécia, e em 2021 a de Copenhaga, na Dinamarca.